sexta-feira, 27 de novembro de 2009

British Council - Listenings

Ótimo site para trabalhar com listening (british accent). Você pode ouvir histórias, poemas e variados artigos. Você ainda pode baixar os arquivos de audio, juntamente com o tapescript.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Copa 2014 e Olimpiadas 2016: oportunidades de aprender Inglês

Inglês afiado para aproveitar as
oportunidades da Copa do Mundo


Fazer um curso regular na escola de inglês ou passar uma temporada de intercâmbio lá fora? Se a intenção é estar com o inglês fluente à época da Copa, em 2014, dá para planejar esse investimento

A realização da Copa do Mundo de Futebol no Brasil em 2014, seguida da Olimpíada em 2016, abre a chance de um contato com outras culturas e também a oportunidade de enriquecer o currículo com atividades que exijam o inglês fluente.

Uma dica para quem quer aperfeiçoar o idioma estrangeiro até esses grandes eventos é cogitar a possibilidade de fazer um intercâmbio mais extenso, em países como Austrália e Canadá.

"Como ainda faltam cinco anos para a Copa, é possível planejar com antecedência e programar a viagem, fazendo valer melhor o investimento", explica Alexandre Pucci, diretor da agência de intercâmbio Information Planet (www.informationplanet.com.br).

Segundo Alexandre, um ano de intercâmbio na Austrália pode ser equivalente a três ou mais anos de um bom curso de inglês. "Quanto maior o período do intercâmbio, melhor o aprendizado. Porém, se a intenção é passar um período curto lá fora, fatalmente o estudante não poderá abandonar a escola de inglês, se quiser atingir um bom nível de conhecimento do idioma", acrescenta.

De acordo com a Information Planet, os custos para fazer um intercâmbio na Austrália são os seguintes:

  • Passagem aérea a partir de R$ 2.600;
  • Curso de inglês (14 semanas) de R$ 3.840 a R$ 9.600;
  • Vistos, taxas e exame médico de R$ 800 a R$ 1.200;
  • Acomodação (4 semanas) de R$ 1.040 a R$ 1.680;
  • Total R$ 8.280 a R$ 15.080

Deve-se acrescentar a esses valores a reserva de dinheiro para se sustentar no país, o que varia de pessoa para pessoa. A maioria dos brasileiros que viaja para a Austrália em intercâmbio busca também um emprego temporário de até 20 horas semanais, o que é permitido por lei. Assim, além de custear parte das despesas, aprende-se mais sobre o idioma, entrando em contato com a população local por meio do trabalho remunerado.

É possível ainda encontrar na Austrália diversas opções em ensino médio, graduação e pós-graduação, em instituições reconhecidas no mundo todo.

Fonte: http://www.raf.com.br/noticia/ri914143.aspx

Quem é o melhor professor de Inglês?

Qual é o melhor professor de língua inglesa: o britânico, o americano ou o falante da língua materna do aluno.
Segundo o linguista David Graddol, o professor ideal é o que fala a língua do estudante. Confira a entrevista no site G1.











http://g1.globo.com/Noticias/Vestibular/0,,MUL1368465-5604,00-MELHORES+PROFESSORES+DE+INGLES+NAO+SAO+BRITANICOS+NEM+AMERICANOS+DIZ+LINGUI.html

Professor com viência no exterior

Extraído do ótimo blog do professor Denilson de Lima.

Dias atrás publiquei aqui no blog um post intitulado 'Quem é o melhor professor de inglês? Nativo ou não-nativo?'. Nele falei sobre um dos mitos mais frequentes no ensino de língua inglesa que persiste em ser perpetuado no Brasil. Apresentei lá também a opinião do linguista David Graddol que realiza pesquisas e estudos para o British Council [Conselho Britânico] e disse em entrevista ao G1 que "O melhor professor é aquele que fala a língua materna de quem está aprendendo o idioma. Também é preciso ser altamente capacitado e ter um ótimo domínio do idioma, claro."

O curioso é que no Brasil há ainda um outro mito com relação a professores de inglês. Mito tão péssimo e absurdo quanto aquele do professor nativo. Trata-se do mito do professor de inglês com vivência no exterior. A grande maioria das escolas de inglês utiliza isto como marketing na captação de novos alunos e perpetuam ainda mais este mito quando exigem que os candidatos à vaga de professores tenham morado fora do país por algum tempo.

Imagine a situação. Um brasileiro desanimado com a vida nas terras tupiniquins decide tentar a sorte, por exemplo, nos Estados Unidos. O cidadão sai daqui e neste outro país trabalha de pedreiro, garçom, auxiliar de serviços gerais, zelador, técnico de som em danceterias, taxista, recepcionista, etc. Esta pessoa fica cerca de cinco anos pulando de um trabalho [bico] a outro. Neste tempo convive com a língua e [alguns poucos] acabam aprendendo a falar inglês fluentemente.

Certo dia este cidadão retorna ao Brasil. Então, ele decide arrumar um emprego por aqui. Por incrível que pareça ele prepara um currículo e deixa em uma escola de inglês. Afinal, ele tem aquilo que a maioria das escolas de inglês quer: vivência no exterior e inglês fluente.

Neste momento, eu tenho de fazer algumas perguntas: 1) Quem está enganando quem? 2) Que experiências pedagógicas esta pessoa tem? 3) Como ele pode dar aulas de inglês se nem ao menos tem conhecimento sobre o ensino da língua inglesa como um todo: métodos, abordagens, técnicas de ensino, práticas pedagógicas, psicologia básica para lidar com os alunos, conhecimentos de psicopedagogia para identificar as dificuldades dos alunos, técnicas de gerenciamento de sala de aula, etc?

Para encurtar a conversa, listo abaixo alguns pontos a serem refletidos por todos [profissionais da área, donos de escolas, estudantes, clientes, empresas, governo, mídia, etc]:
  1. Os cursos de Letras na grande maioria são fracos e não capacitam bem os professores de língua inglesa. Sem contar que muitas pessoas fazem o curso de Letras achando que depois de formadas falarão inglês fluentemente. Na verdade, deveriam entrar na faculdade já tendo, no mínimo, nível intermediário de inglês. Isto facilitaria muito a formação acadêmica delas;
  2. Falar inglês fluentemente não é o suficiente para ser professor de língua inglesa. Morar em um país de língua inglesa por algum tempo também não é prova de que a pessoa é professor de língua inglesa. Conheço pessoas que moraram anos fora do Brasil e falam inglês mal e porcamente [e elas reconhecem isto]. Aliás, todos nós moramos no Brasil e falamos português, no entanto não somos professores de língua portuguesa;
  3. Outros países [incluindo os países pobres da América Latina] estão anos-luz à frente do Brasil no que se refere à ensino de língua inglesa. Parafraseando uma fala do grande filólogo, gramático e linguista Celso Pedro Luft, podemos dizer que em matéria de ensino de língua inglesa, infelizmente, o Brasil continua rotineiro e bitolado.
  4. O treinamento pedagógico dado pela grande maioira das escolas de idiomas se resume apenas à ensinar aos professores as 'técnicas de ensino' [passo a passo] de utilização dos livros daquela escolas. São poucas as escolas [franquias ou não] que formam adequadamente seus professores de língua inglesa. Vale dizer que nestas pouquíssimas escolas os requisitos para contratação são bem complexos.
As escolas preocupadas com vivência no exterior deveriam exigir outras coisas mais importantes, tais como: conhecimento de ensino da língua inglesa, perfil para lidar com conflitos em sala de aula, técnicas de gerenciamento de sala de aulas, o professor como modelo linguístico [bom conhecimento da língua, inglês fluente e acurado, boa pronúncia, boa dicção, etc], o professor como fornecedor de input compreensível. Tenho certeza que uma lida cuidados no livro The Practice of English Language Teaching, de Jeremy Harmer, poderá ajudar estas escolas a reverem os seus conceitos.

Minha última pergunta é na verdade um desafio: Que tal estas escolas começarem a revolucionar o ensino da língua inglesa no Brasil ao invés de revolucionar apenas o mundo da publicidade [marketing, propaganda, etc]? É preferível gastar milhões em propaganda e menos em capacitação profissional de seus professores? Professor de Inglês com vivência no exterior é uma coisa, ter apenas a vivência no exterior é outra!

Para encerrar, afirmo que há no Brasil algumas escolas realmente boas e que se preocupam com a formação pedagógica de seus professores [tenham eles vivência no exterior ou não]. A estas escolas, o meu total respeito e admiração.

Fonte: http://denilsodelima.blogspot.com/2009/11/professor-de-ingles-com-vivencia-no.html

Ótimo site para Listening: Elllo

Recomendo o site http://www.elllo.org/ para listening. Possui vários diálogos e exercícios. Expressões e phrasal verbs não tão conhecidos são explicados via áudio. Muito bom.

Vale a pena!!

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Site mes-english.com

Esse site foi sugestão da colega Teacher Giovana. Site muito com worksheets de variados temas. Tem bastante coisa pro Halloween. Enjoy it.

http://www.mes-english.com/

Dicionário Michaelis - Uol

Dicionário "quebra-galho" pra ter no computador. De especial traz termos específicos de Informática, Inglês Executivo e Sinônimos e Antônimo. Fato positivo é que ele é leve e de fácil navegação.


http://www.4shared.com/file/144526465/9dc4f860/Dicionario_Michaelis_-_UOL.html

domingo, 25 de outubro de 2009

Borat - Etiquette Lessons - worksheet

Mais um worksheet involvendo filmes. Gosto muito de trabalhar dessa forma. Dessa vez o conteúdo é Etiquette e vou utilizar o filme Borat na cena em que ele tem aulas de regras de etiqueta. Tem imagens um pouco pesadas, por isso cuide a faixa etária com que vais trabalhar essa cena. Enfim, é um ótimo warm-up para trabalhar.

http://www.4shared.com/file/143648412/604d35b7/Borat_Movie_-_Etiquette_Lessons_-_worksheet.html

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Atividades Halloween

Ótimo site com dicas para realizar atividades de Halloween
http://www.funhalloween.net/

Body Language Exercises

Hello guys!
Depois de um tempo sem atualizações, here I am, back from the dead. O tempo tá curto, struggling de segunda à sábado.
Pra recomeçar, uma atividade com body language. Você sabia que no Marrocos, fazer sinal de carona é considerado um gesto ofensivo? E que na Austrália o sinal de positivo significa "screw up". Descubra algumas curiosidades sobre Body Language around the world neste quiz muito legal.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Filme Uma Noite no Museu 2 - Worksheet

Uma atividade pra trabalhar com museu é o filme A Night At The Museum 2 [2009]. O filme mostra uma série de figuras históricas. Após os alunos olharem o filme, eles deveram escolher uma dos personagens que aparecem e pesquizar/responder as perguntas relacionadas a cada um dele (econtradas nos worksheets), montar um pequeno texto e apresentar a turma.
São 14 figuras históricas, entre Napoleão Bonaparte, Abraham Lincoln, Amlia Earhart, Al Capone, e outros. Legal para trabalahr o Past Tense.

http://www.4shared.com/file/138408941/3c615933/night-at-the-museum-2-worsheet.html

Time Capsule - Filme Presságio [2009]

Trabalhei com uma turma de Teens, um projeto de construir uma Time Capsule. Como introdução ao tópico, achei interessanete trabalhar a cena inicial do filme Presságio (Knowing, 2009 com Nicolas Cage) em que os alunos tem de fazer uma capsula do tempo em 1959 para ser aberta em 2009. Fiz um worksheet e agora disponibilizo para quem quizer baixar.
Acho bem interessante a idéia pois pode funcionar como um warm-up para trabalhar o passado ou mesmo o futuro, ou mesmo para exercitar a imaginação dos jovens.

http://www.4shared.com/file/138405588/12788f22/Movie_Knowing.html



sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Prejudice in America

Tenho que trabalhar o assunto "Stereotypes" e "American Prejudice" em aula. Logo selecionei esse interessante texto/enquete sobre o que os americanos pensam sobre preconceito. Não pretendo julga-los, pois cocordo em alguns pontos com os americanos, tirem suas próprias conclusões. Todos tem o direito de defender your colors. Como diz o site do Klu Klux Klan: A Message of Love NOT Hate. Você concorda?


http://www.4shared.com/file/137156222/71dd59f7/Report_Card_on_Prejudice_in_America.html




Talk It!

O Talk It! é um típico leitor automático de textos. Digite ou abra um arquivo TXT que o Talk It! lê tudo com o sotaque inglês ou espanhol. Você ainda pode escolher uma das 20 configurações de voz do Talk It!. Se quiser personalizar, faça o ajuste manual de velocidade e amplitude e consiga novos efeitos. muito legal para tirar dúvidas em relação a certas pronuncias.
Enjoy it!

Baixe o programa nesse link (não precisa instalar)
http://www.4shared.com/file/137071987/db46126f/TalkAny.html

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Office Stereotypes

Tenho um conteúdo que preciso trabalhar em aula que se refere aos tipo comuns de pessoas que encontramos todo dia no ambiente de trabalho. Para ilustrar a aula, achei o seguinte vídeo do youtube.com (http://www.youtube.com/watch?v=SXPrMfmxIsE). Muito legal, dá pra fazer algumas comparações dos tipos que encontramos todo dia e outros nem tão comuns no trabalho. Vale a dica.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

ESL Printables

No post de hoje vai a dica de um excelente site para quem quer worksheets prontos: http://www.eslprintables.com/ But, para você poder baixar os worsheets você precisa se cadastrar e to share seus worksheets com os demais membros. Nada mais justo...
Anyway, recomendo pois tem muita coisa boa.

Abraço a todos e um ótimo final de semana!!!

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

terça-feira, 22 de setembro de 2009

A short dictionary of Phrasal Verbs

Um pequeno dicionário (4 páginas) de Phrasal Verbs. Eles estão separados entre Separables, Inseparables e Intransitives. Bem útil, visto a importância destes na Língua Inglesa.



http://www.4shared.com/file/134464422/f9dc1c30/Phrasal_verbs_-_Short_Dictionary.html

sábado, 19 de setembro de 2009

The Strange English Language...

It has been said that English is one of the hardest languages to learn to speak and spell correctly. Read this poem by Dr. Gerald Nolst Trenite (1870-1946), and you might begin to see what a strange collection of rules and exceptions (mostly exceptions) is the English language! You'll certainly wonder how you ever learned to read!

If you can pronounce correctly every word in this poem, you will be speaking English better than 90% of the native English speakers in the world. After trying the verses, a Frenchman said he'd prefer six months of hard labour to reading six lines aloud. Try them yourself.

The Chaos

Dearest creature in creation,
Study English pronunciation.
I will teach you in my verse
Sounds like corpse, corps, horse, and worse.
I will keep you, Suzy, busy,
Make your head with heat grow dizzy.
Tear in eye, your dress will tear.
So shall I! Oh hear my prayer.

Pronunciation/DearestCreature1.rm

Just compare heart, beard, and heard,
Dies and diet, lord and word,
Sword and sward, retain and Britain.
(Mind the latter, how it's written.)
Now I surely will not plague you
With such words as plaque and ague.
But be careful how you speak:
Say break and steak, but bleak and streak;
Cloven, oven, how and low,
Script, receipt, show, poem, and toe.

Pronunciation/DearestCreature1.rm

Hear me say, devoid of trickery,
Daughter, laughter, and Terpsichore,
Typhoid, measles, topsails, aisles,
Exiles, similes, and reviles;
Scholar, vicar, and cigar,
Solar, mica, war and far;
One, anemone, Balmoral,
Kitchen, lichen, laundry, laurel;
Gertrude, German, wind and mind,
Scene, Melpomene, mankind.

Pronunciation/DearestCreature3.rm

Billet does not rhyme with ballet,
Bouquet, wallet, mallet, chalet.
Blood and flood are not like food,
Nor is mould like should and would.
Viscous, viscount, load and broad,
Toward, to forward, to reward.
And your pronunciation's OK
When you correctly say croquet,
Rounded, wounded, grieve and sieve,
Friend and fiend, alive and live.

Pronunciation/DearestCreature4.rm

Ivy, privy, famous; clamour
And enamour rhyme with hammer.
River, rival, tomb, bomb, comb,
Doll and roll and some and home.
Stranger does not rhyme with anger,
Neither does devour with clangour.
Souls but foul, haunt but aunt,
Font, front, wont, want, grand, and grant,
Shoes, goes, does. Now first say finger,
And then singer, ginger, linger,
Real, zeal, mauve, gauze, gouge and gauge,
Marriage, foliage, mirage, and age.

Pronunciation/DearestCreature5.rm

Query does not rhyme with very,
Nor does fury sound like bury.
Dost, lost, post and doth, cloth, loth.
Job, nob, bosom, transom, oath.
Though the differences seem little,
We say actual but victual.
Refer does not rhyme with deafer.
Foeffer does, and zephyr, heifer.
Mint, pint, senate and sedate;
Dull, bull, and George ate late.
Scenic, Arabic, Pacific,
Science, conscience, scientific.

Pronunciation/DearestCreature6.rm

Liberty, library, heave and heaven,
Rachel, ache, moustache, eleven.
We say hallowed, but allowed,
People, leopard, towed, but vowed.
Mark the differences, moreover,
Between mover, cover, clover;
Leeches, breeches, wise, precise,
Chalice, but police and lice;
Camel, constable, unstable,
Principle, disciple, label.

Pronunciation/DearestCreature7.rm

Petal, panel, and canal,
Wait, surprise, plait, promise, pal.
Worm and storm, chaise, chaos, chair,
Senator, spectator, mayor.
Tour, but our and succour, four.
Gas, alas, and Arkansas.
Sea, idea, Korea, area,
Psalm, Maria, but malaria.
Youth, south, southern, cleanse and clean.
Doctrine, turpentine, marine.

Pronunciation/DearestCreature8.rm

Compare alien with Italian,
Dandelion and battalion.
Sally with ally, yea, ye,
Eye, I, ay, aye, whey, and key.
Say aver, but ever, fever,
Neither, leisure, skein, deceiver.
Heron, granary, canary.
Crevice and device and aerie.

Pronunciation/DearestCreature9.rm

Face, but preface, not efface.
Phlegm, phlegmatic, ass, glass, bass.
Large, but target, gin, give, verging,
Ought, out, joust and scour, scourging.
Ear, but earn and wear and tear
Do not rhyme with here but ere.
Seven is right, but so is even,
Hyphen, roughen, nephew Stephen,
Monkey, donkey, Turk and jerk,
Ask, grasp, wasp, and cork and work.

Pronunciation/DearestCreature10.rm

Pronunciation -- think of Psyche!
Is a paling stout and spikey?
Won't it make you lose your wits,
Writing groats and saying grits?
It's a dark abyss or tunnel:
Strewn with stones, stowed, solace, gunwale,
Islington and Isle of Wight,
Housewife, verdict and indict.

Pronunciation/DearestCreature11.rm

Finally, which rhymes with enough?
Though, through, plough, or dough, or cough?
Hiccough has the sound of cup.
My advice is give it up!

Pronunciation/DearestCreature12.rm

Gerard Nolst Trenité

Gaucho's Day: September, 20th

O dia 20 de Setembro é considerado dia do gaúcho. Isso pelo fato de que em 20
de Setembro de 1835 foi o início da Revolução Farroupilha que teve a duração de 10 anos e no dia 28 de Fevereiro de 1845 com a assinatura do acordo de Paz de Poncho Verde, em Dom Pedrito, quando o grande chefe farroupilha Davi Canabarro afirmou: “Acima de nosso amor à república, está nosso brio de brasileiro”.


Reportagem em inglês sobre o Dia do Gaúcho:




http://english.ohmynews.com/articleview/article_view.asp?menu=c10400&no=249102&rel_no=1

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Atividade com o filme Postal (Salve-se Quem Puder, 2007)

Nesse post, uma atividade com o filme Postal, 2007 (no Brasil, Salve-se Quem Puder, lançado esse ano, se não me engano). O enredo do filme não interessa nesa atividade, mas sim a cena. Um cara totalmente screwed up, faz uma entrevista para uma companhia. A entrevista é totalmente maluca e o cara acaba não arrumando nada. O conteúdo é para um nível intemediate e para quem está trabalhando com résumés, profiles ou jobs.

Link da cena:

Arquivo com as questões:
http://www.4shared.com/file/135194202/bb8d0fd6/Movie_Postal_Activities.html


quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Uma aula de Simple Past Tense

Neste post, disponibilizarei algumas atividades que podem ser empregadas no uso do aprendizado do Simple Past Tense. Na aula em que trabalhei o Simple Past, nesta semana, comecei relembrando o Simple Present, pois era uma turma de Teenagers e eles ainda estão voltando a se acostumar com o inglês (após as férias de inverno). Primeiro apliquei o seguinte texto para completar as lacunas (Simple Present).
http://www.learnenglish.de/Games/Tenses/SimplePres.htm

Logo em seguida, ainda retomando o Simple present, sugeri esse game http://www.marks-english-school.com/games/g_present.html que é estilo golf em que você precisa responder ou formular a pergunta da maneira correta para acertar o buraco e passar para o próximo buraco.


Para começar o Simple Past, utilizei o mesmo texto da atividade anterior para explicar a gramática, explicitando a diferença entre os verbos regulares e irregulares.
Para fixar os verbos irregulares, sugeri o seguinte game: http://www.oup.com/elt/global/products/englishfile/elementary/i_games/gotoschool/games_gts01/


Para fechar a aula sugeri um board game utilizando o simple past

http://www.4shared.com/file/131563178/6606073b/past-simple-board-game.html

Era isso por hoje, espero que tenha ajudado.
See ya!!

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Exercício com idioms/phrasal verbs/slangs/chunks...

Mais uma atividade criada por mim com a utilização de idioms/phrasal verbs/slangs/chunks... São dois exercícios com linguagem essencial para quem quer aprender o inglês coloquial (muita mais interessante que o formal, by the way).
Respostas junto com o arquivo.


http://www.4shared.com/file/131150141/fa737b74/expressions-slangs-phrasal_verbs-chunks-idioms-exercises_.html

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Puns Activities

Você sabe o que quer dizer PUN? Pun nada mais é do que trocadilho. Sempre gostei desse tipo de piada e já faz algum tempo que acesso o site Pun of the day www.punoftheday.com, mas nunca havia criado nenhum exercício a partir dos seus trocadilhos que pudesse ser aplicado em sala de aula. Pois bem, botei a mão na massa e criei algumas atividades a partir dos puns que estão no site. Recomendo para níveis a partir do intermediate, pois requerem um bom vocabulário para compreendê-los.
I hope you like it!


http://www.4shared.com/file/130076359/dcb7c2c4/Puns_Activities.html


quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Linking Words - Exercises

Linkig words são de extrema importância na Inglesa Inglesa, pois são as peças-chave na hora de dar continuidade a um discurso ou a uma linha de raciocínio, bem como adicionar idéias ou contrapô-las. Primeiro, uma pequena explicação das linking words, e logo em seguida um exercício em forma de texto em que você tem de escolher a palavra correta para dar continuidade ao texto.

Pequena explicação do que são as linkng' words:



Exercício:


http://www.4shared.com/file/129917192/ad95066e/Linking_Words_Exercises.html

Travelin' vocabulary

Um exercício básico para os alunos se acostumarem ao vocabulário de viagem: enumere as palavras conforme a categoria a qual pertencem: Air traveling / Staying in a hotel / Driving. Para fixação, sugiro que o professor faça um game tipo Hangman, logo após o exercício.
http://www.4shared.com/file/129913057/ffea408d/VOCABULARY_FOR_TRAVELIN.html

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Número das peças de roupas/calçados na América do Norte/Europa

Vai viajar e quer saber o número das peças de roupas/calçados na América do Norte ou Europa. Acesse http://www.globalvillage.com.br/Roupas.asp

Se precisa de um conversor de unidades, acesse http://www.digitaldutch.com/unitconverter/

Inglês Instrumental

Inglês Instrumental é o inglês que capacita para concursos, vestibulares, mestrados e para a vida profissional, dentro de determinadas condições. Logo, estou postando uma série de exercícios em pdf.

http://www.4shared.com/file/129393215/e7e7586c/INGLS_INSTRUMENTAL.html

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Quiz True or False

Montei esse quiz bem legal para trabalhar com os alunos sobre curiosidades em geral. Analisei vários quizes da internet e juntei em um arquivo as 30 questões mais interessantes que encontrei.
O arquivo vem com as respostas, algumas com explicações. Espero que seja útil.

Link do arquivo: http://www.4shared.com/file/129201869/c0c27e09/True_Or_False_Quiz.html